sexta-feira, 24 de março de 2017

ALÇAPÃO

Sei que é armadilha
Contradição

De um lado,
Super homem,
No desvio,
Lixo, aberração

Presa, porém lúcida e psicótica
Entre trilhas e fantasmas
Dessa injusta maldição

Mas, quando ouso
Sair desse delírio
Criolizar  meus pensamentos
Caio e me enlaçam,
Feito pássaro em alçapão.




Vem!

Estou aqui meditando
Sobre aquele nosso
Gozo gostoso

Fica de espreita não
 meu dengo!

Vem, vem de sapatinho
Vem  sambando
Vem rimando

Te bagunço todinho
Desalinho, desarrumo
E depois te deixo,

Mas se quiseres
Te empresto o mar,
as estrelas e o luar

Vem que te faço
esquecer todos os dramas
e te mostro ainda, o que é
Que a Pretinha tem.



A MAR(É)

Preto,
Pouse teus lábios nos meus
Sem medo,
Com muito dengo
e gostinho de mel

Quero esse olhar
Latejando em meu corpo
Em casa, em brasa
Faça da minha alma
A sua eterna morada